DOIS INÉDITOS ESCRITOS HISTÓRICOS DE ANTÓNIO TELMO E ÁLVARO RIBEIRO

sefaradO dactiloscrito inédito, presumivelmente incompleto, sem título, não datado e não assinado, de António Telmo que, pela enorme significação de que se reveste, agora divulgamos, encontra-se no seu espólio juntamente com um manuscrito de Álvaro Ribeiro que consiste num esquema, com sete pontos, ou tópicos, enumerados com números romanos, no qual se projecta uma História de Portugal. António Telmo apenas transcreveu para o seu dactiloscrito os quatro primeiros pontos enunciados por Álvaro Ribeiro, elencando-os, porém, com numeração latina. Os três restantes tópicos encontram-se no verso da folha manuscrita por Álvaro Ribeiro. Não sabemos se António Telmo se não apercebeu deles, mas tudo leva a crer que deixou incompleto o seu escrito. A publicação que agora fazemos opera a transcrição integral do texto alvarino, observando a numeração romana constante do original.

 ____________

Quando publiquei a minha “História Secreta de Portugal”, mal supunha que viesse a constituir um êxito editorial e a tornar-se um livro admirado por muita gente. Só Álvaro Ribeiro, numa carta excessivamente amável e elogiosa, se mostrou decepcionado, e vejo hoje que com inteira razão, na medida em que o livro contribuiu para distrair os espíritos, atraindo-os para uma interpretação falsa de Portugal e da sua história, prestigiada pelo fascínio do esotérico. Entre os documentos que guardo religiosamente, há um esboço de História de Portugal traçado pela mão de Álvaro Ribeiro e concertado entre mim e ele à mesa de uma esplanada de Sesimbra alguns anos antes da edição do meu livro, por onde se pode medir, comparando, o desvio da ideia original. “História de Portugal-Israel” viria a ser o título inevitável, se ele ou eu nos tivéssemos dado a desenvolver os sucessivos tópicos que constituem esse esboço. Se não, veja o leitor:

I – Astrologia da Península Ibérica.

Aspectos constantes do Céu. Horóscopo.

A Península e a Palestina. Semelhanças.

II -Povos primitivos da Península Ibérica.

Invasões e Expulsões.

A Diáspora anterior á morte de Cristo e à destruição do II Templo.

Judeus da Palestina e da Diáspora.

Principais colónias (sinagogas) na Península Ibérica.

III – Hebreus e Iberos.

Onde estava situado o Ebro? Andaluzia.

Missão religiosa e missão política do povo eleito.

Convívio com outros povos.

Bilinguismo. Exprimir-se na língua alheia.

O ladino e o mito do Latim vulgar.

IV – Diplomacia. Significado étimo.

Duplicidade e ambiguidade.

Reserva e reticência nos dizeres.

A ironia.

O conflito de duas mentalidades.

Psicanálise do judeu na Diáspora.

A alma e o espírito.

V – Formas literárias e artísticas desta atitude mental.

A metáfora e o seu contrário, a etimologia.

Interrogatório e inquisição.

VI – Condição social dos Judeus na Península Ibérica e, depois, na Monarquia Lusitana.

Três religiões lícitas.

Duas religiões. 1391

Uma religião. 1498 – Reis católicos

VII – A Política do Príncipe Perfeito . (Oliveira Martins)

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s