“PÁGINAS IBERO-AMERICANAS”: UM TELMO INÉDITO E SURPREENDENTE PARA O NÚMERO 13 DA «NOVA ÁGUIA»

antoniotelmo

Acaba de ser encontrado, no espólio de António Telmo, um conjunto inédito e fragmentário de cerca de uma dezena de páginas A4 dactilografadas, que correspondem ao começo esboçado de um livro que o filósofo não levou por diante. Trata-se, ainda assim, e por motivos vários, de páginas do maior interesse: seja pelo estilo, poderoso e vigoroso; seja pela temática, de rara abordagem na obra télmica; seja pela ideação, que reflecte a experiência de Telmo em Brasília, o seu convívio e as conversas com Agostinho da Silva, a leitura e o aprofundamento do estudo, já em Granada, muito por influência do mesmo Agostinho, dos grandes mestres espanhóis – Ganivet, Americo de Castro, Albornoz, Unamuno, etc. –, certas aproximações e divergências perante o arco do pensamento agostiniano que se define entre Reflexão à Margem da Literatura Portuguesa e Educação de Portugal, e, de um prisma ibérico, reflexões sobre a América Latina, a partir de quatro autores: o Bruno de O Brasil Mental; o próprio Agostinho; o Ganivet de Idearium espanol; e o Unamuno de Algunas consideraciones sobre la literatura hispanoamericana.

O tipo de papel e a máquina de escrever que estão na origem destes dactiloscritos, bem como o seu teor, levam a crer que foram produzidos ainda em Granada, ou porventura já em Tomar, devendo, pois, os mesmos ser datados de 1969. São, porventura, as páginas télmicas de maior afinidade com o pensamento de Agostinho de Silva (pese embora as claras dissonâncias, já então verificáveis, quanto à importância da criança, ou do Brasil, na economia dos respectivos pensamentos), o que bem se compreende dada a época em que surgem, os estímulos e motivações que lhes estão na origem. Perspectivam-se assim estes escritos como um documento imprescindível para a compreensão evolutiva do pensamento do filósofo de Arte Poética, mormente pela sua relevância no processo de formação da História Secreta de Portugal. Daí que, sem surpresa, e a par das cartas que Agostinho lhe escreveu, sejam já um dos grandes motivos de investigação subjacentes à exposição “O Regresso dos Mestres: de Granada a Sesimbra, António Telmo e Agostinho da Silva”. E por isso, tal como sucede com aquela correspondência, serão dados a lume, com o título de “Páginas Ibero-Americanas” (de responsabilidade editorial), no número 13 da revista NOVA ÁGUIA, a sair no primeiro semestre de 2014.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s